domingo, 22 de agosto de 2010

IMPORTANTISSIMO


QUE TODOS SAIBAM A GRANDEZA DESTE HOMEM,SÓ POR ESTE DISCURSO DA PARA TER UMA NOÇÃO...



Vocês provavelmente não estão surpresos em ouvir que eu não tive uma infância idílica. A tensão que existe na minha relação com meu pai é bem documentada. Meu pai é um homem duro, e pressionou bastante a mim e a meus irmãos, desde a tenra idade, para sermos os melhores artistas que pudéssemos ser.



Ele tinha muita dificuldade em mostrar afeição. Ele nunca disse que me amava de verdade. E também nunca me elogiava. Se eu fizesse um grande show, ele dizia que era um bom show. E se eu fizesse um show legal, ele me dizia que tinha sido um show muito ruim. Ele parecia tentar acima de tudo fazer de nós um sucesso comercial. E nisso era mais do que adepto.

Meu pai era um empresário genial e meus irmãos e eu devemos nosso sucesso profissional em uma medida menor à forma dura com que ele nos pressionou. Ele me treinou como um showman e, sob a orientação dele, eu não poderia cometer erro algum.


Mas o que eu realmente queria era um pai. Eu queria um pai que me mostrasse amor. E o meu pai nunca fez isso. Ele nunca disse, "Eu amo você" me olhando nos olhos, ele nunca brincou comigo, nunca me carregou nas costas, nunca jogou um travesseiro em mim.


Mas eu me lembro uma vez quando eu tinha mais ou menos quatro anos de idade que houve um pequeno carnaval e ele me pegou e me pôs em cima de um pônei. Foi um gesto pequeno, provavelmente algo que ele tenha esquecido cinco minutos depois. Mas por causa desse momento, eu tenho um lugar especial em meu coração para ele. Por que é assim que as crianças são. As pequenas coisas significam muito para elas, e para mim, esse momento especial significou tudo. Eu só tive essa experiência única, mas me fez realmente sentir muito diferentemente com relação a ele e ao mundo.


Mas agora eu também sou pai, e um dia eu estava pensando em meus filhos Prince e Paris, e em como eu queria que eles pensassem em mim quando crescessem. Para ter certeza, eu gostaria que eles se lembrassem do quanto eu os quis comigo em qualquer lugar que eu fosse, no quanto eu queria tentava colocá-los em primeiro lugar, incluindo meus álbuns e meus concertos.


Mas também há desafios na vida deles. Pois meus filhos são perseguidos por paparazzi, eles não podem sempre ir a um parque ou cinema comigo. Então, e se quando eles crescerem e se sentirem ressentidos comigo e pelas escolhas que fiz e que afetaram a juventude deles? "Por que não tivemos uma infância comum como todas as outras crianças?" Eles podem perguntar.


No momento, eu rezo para que meus filhos me dêem o benefício da dúvida. Que eles digam, "Nosso papai fez o que pôde para nos o melhor nas circunstâncias únicas que ele enfrentou. Ele pode não ter sido perfeito, mas ele foi um homem amoroso e decente que tentou nos dar todo o amor do mundo!"


Eu espero que eles sempre foquem nas coisas positivas, nos sacrifícios que eu dispostamente fiz por eles, e não criticar as circunstâncias sacrificantes que podem ter sido colocadas sobre eles pelos erros que eu tenha cometido e que certamente continuarei cometendo enquanto os crio. Pois todos nós fomos um dia filhos de alguém e sabemos que apesar dos melhores planos e esforços, erros continuarão ocorrendo. Isso é ser humano.


E quando eu penso nisso, no quanto eu espero que meus filhos não me julguem de uma forma desfavorável, e que perdoem minhas ausências, e sou forçado a pensar em meu próprio pai, e apesar de parte de mim ter negado isso por anos eu tenho que admitir que ele deve ter me amado. E ele me amou, e eu sei disso.


Havia pequenas coisas que mostravam isso. Quando eu era um garoto eu adorava doces - todos nós adorávamos. Minha comida favorita eram donuts brilhantes, e meu pai sabia disso. Então, toda semana eu descia de manhã e na cozinha havia um saco cheio deles - sem notas, sem explicações - apenas os donuts. Era como presente do Papai Noel. Às vezes, eu pensava em ficar acordado até mais tarde só para vê-lo colocando-os lá, como um Papai Noel; eu não queria arruinar a magia, por medo de que nunca mais acontecesse de novo.


Meu pai tinha que deixá-los ali de noite para que ninguém o visse fazê-lo. Ele tinha medo das emoções humanas, ele não entendia ou sabia como lidar com elas. Mas sabia sobre os donuts.


E quando eu abri minha memória outras lembranças apareceram rápido, lembranças de outros pequenos gestos, no entanto eram incompletas, mas mostravam que ele fez o que ele podia.


Então essa noite, em vez de focar nas coisas que meu pai não fez, eu quero focar nas coisas que ele fez, e em seus desafios pessoais. Eu quero parar de julgá-lo.


Eu comecei a refletir no fato de que meu pai cresceu no Sul, numa família muito pobre. Ele cresceu durante a época da Depressão, e seu próprio pai, que se esforçou para alimentar seus filhos, mostrou pouca afeição por sua família e criou meu pai e meus tios com punho de aço. Quem poderia imaginar como era ser criado por um negro pobre no Sul, roubado de sua dignidade, privado de esperança, batalhando para se tornar um homem num mundo que via meu pai como um subordinado.


Eu fui o primeiro artista negro a estrelar na MTV e eu lembro como isso era grande, e ainda o é. E foi nos anos 80!


Meu pai se mudou para Indiana e tinha uma família grande, trabalhando longas horas como metalúrgico, um trabalho que adoece os pulmões e torna o espírito humilde, tudo para sustentar sua família. Será que dá para entender o quanto ele achou difícil expôr seus sentimentos? Seria mistério que ele tenha endurecido seu coração, que ele erguido muralhas emocionais? Que outra escolha um homem tem quando sua vida é uma batalha a ser vivida? E o mais importante, seria difícil imaginar o porque dele ter pressionado tanto seus filhos para serem artistas bem sucedidos para que pudessem serem poupados de uma vida que ele sabia ser de indignidade e pobreza? Eu comecei a ver até mesmo a rispidez de meu pai como um tipo de amor, um amor imperfeito, para ser mais exato, menos que amor. Ele me pressionou por que me amava. Por que não queria que ninguém menosprezasse seus filhos.


E agora, com o tempo, em vez de amargura eu sinto benção. No lugar de raiva, eu encontrei absolvição. E no lugar de vingança, eu encontrei reconciliação. E minha fúria inicial foi vagarosamente dando lugar ao perdão.


Quase uma década depois, eu fundei um centro de caridade chamada "Heal the World". O título era algo que eu senti dentro de mim. Era pequeno, como Shmuley depois me mostrou que essas palavras formavam a pedra angular da profecia do Velho Testamento.


Se eu realemnte acredito que possamos curar esse mundo crivado de guerra, ódio e genocídio mesmo nesses dias? E se eu realmente acho que possamos curar nossas crianças, as mesmas crianças que entram em suas escolas com armas e cheios de ódio atiram em seus colegas como fizeram em Columbine; nossas crianças que lincham uma criancinha até a morte como a trágica história de Jamie Bulger ( assassinado na Inglaterra por dois garotos de 10 anos)? Claro que eu acredito, ou eu não estaria aqui esta noite. Mas tudo começou com perdão. Pois para curar as crianças nós primeiro temos que nos curar. E para curar nossas crianças, nós primeiro temos que curar a criança dentro de cada um de nós.


E como adulto, e como pai, eu percebo que eu não posso ser um ser humano completo, e nem um pai capaz de amar totalmente e incondicionalmente até exorcizar todos os fantasmas da minha própria infância.


E é isso o que eu estou pedindo para todos nós essa noite. Viva o Quinto dos Dez Mandamentos. Honrar pai e mãe e não julgá-los. Dar a eles o benefício da dúvida. Entender que eles tiveram suas próprias batalhas, suas próprias dores, seus próprios traumas, e ainda assim fizeram o melhor que puderam.


Por isso perdoei meu pai, e parei de julgá-lo. Eu quis perdoá-lo por que eu queria um pai e esse é o único que eu tenho. Eu queria tirar o peso do meu passado dos meus ombros, e ainda quero ser livre para ter uma relação com meu pai pelo resto da minha vida, sem o estorvo dos 'duendes' do passado.


Shmuley e eu, estamos comandando essa iniciativa essa noite, somos membros da Comunidade Negra e Judaica, ambas confrontaram horrores e atrocidades através de nossas histórias. Como nossas comunidades perdoaram os horrores sofridos por nós sem no entanto esquecê-los? Por apenas lembrar. Passamos ao longo de nossas estórias. Mas também nos erguemos dessas estórias. Num mundo cheio de ódio, ainda ousamos ter esperança. Num mundo cheio de raiva, ainda ousamos consolar. Num mundo cheio de desespero, ainda ousamos sonhar. E num mundo cheio de desconfiança, ainda ousamos a acreditar.


Para todos vocês essa noite que se sentem tristes com seus pais, eu peço que deixem para trás suas decepções. Para todos vocês que nessa noite se sentem traídos por seus pais ou suas mães, eu peço para que não se traiam mais. E para todos vocês essa noite que sentem vontade de mandar seus pais para o inferno, eu peço que estenda a mão para eles em vez disso.


Pois na troca de dor as contas nunca se equilibram. Vingança não traz restituição. Por perdoar nossos pais, não estamos negando os erros deles para conosco. Não estamos lavando os pecados deles criando santos de pecadores. Mas abrigar ressentimento contra nossos pais nunca trará o amor que tanto almejamos. E dar não irá nem mesmo melhorar nossas vidas. Dor perpétua, sofrimento perpétuo, o ciclo nunca termina. Há um provérbio Bakongo que diz " Vingar-se é sacrificar alguém!" E amigos, nossa geração tem sacrificado e sofrido o suficiente.


Do mesmo jeito que peço a vocês eu peço a mim, para dar aos nossos pais o dom do amor incondicional para que eles possam aprender a amar através de nós, os filhos deles. Então esse amor será finalmente restaurado para um mundo desolado e solitário. Shmuley uma vez mencionou para mim uma antiga profecia bíblica que diz que viria
o tempo em que "os corações dos pais seriam restaurados pelos corações dos filhos." Meus amigos, nós somos esses filhos.


Mahatma Gandhi disse " O fraco nunca consegue perdoar. Perdão é atributo do forte." Nessa noite, seja forte. Além de ser forte, erga-se para o maior dos desafios: Restaurar a aliança quebrada ensinando nossos pais como amar. Devemos superar quaisquer que sejam os efeitos danosos que nossas infâncias tiveram sobre nossas vidas, e nas palavras de Jesse Jackson, perdoar uns aos outros, redimir uns aos outros, e seguir em frente.

segunda-feira, 31 de maio de 2010

jANET jACKSON AO VIVO

prestar atenção aos 6.34m.........(michael Jackson?)

http://r.groups.im/rd?mulheresluxo.wordpress.com%2F

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Entrevista à Fox News: Michael Jackson e a Conspiração da Sony

Conduzida por Rita Cosby; traduzida por Bruno Fahning
Entrevista realizada pela Fox News, em 7 de julho de 2002.
Fonte: MJJForum


Rita Cosby: "E logo depois, a Fox terá uma entrevista exclusiva com o Rei do Pop. Por que Michael Jackson está explorando o cabeça maior de uma corporação? Ele nos dirá em uma rara entrevista. Fique ligado para Michael Jackson, que está vindo em breve".

Rita Cosby: "Alguns fogos-de-artifício hoje – atualmente Tommy Mottola é o cabeça da Sony Corporation. Cantor multiplatina, Michael Jackson está lutando contra a Sony e Tommy Mottola. A Sony é naturalmente a maior gravadora de nome. Em um discurso e reunião hoje com o reverendo Al Sharpton em Harlem, Gloved Wonder afirmou que a indústria recordista é uma conspiração racista que conseguiu lucros às custas de performistas. Em particular, a minoria dos artistas. O reverendo Al Sharpton formou recentemente uma coalizão para investigar se alguns artistas estão sendo financeiramente explorados. Diretamente depois do seu discurso, falei resumidamente com o Rei do Pop em uma rara entrevista televisionada".

Rita Cosby: "Michael, por que é importante para você estar aqui e o que você pensa sobre o auxílio do reverendo Sharpton?".

Michael Jackson: "Penso que é importante estar aqui, pois não estou lutando somente por mim estou lutando por todos os artistas. Grandes artistas explorados, você sabe, negócios do entretenimento bem como composição, bem como organização incrível, você sabe... O fato é que eles foram tomados pelo sistema. Totalmente os quebrou financeiramente, e isto têm que parar, a conspiração".

Rita Cosby: "Você disse lá fora que sentiu que a Sony foi racista".

Michael Jackson: "Eu não disse que a Sony foi racista, eu disse que Tommy Mottola é racista".

Rita Cosby: "O cabeça da Sony...".

Michael Jackson: "Sim, Tommy Mottola".

Rita Cosby: "Você sente que a indústria musical em conjunto foi usada para uma espécie de conspiração contra artistas negros... por que você pensa isso?".

Michael Jackson: "Porque penso isso? Porque o dinheiro é a raiz da maldade".

Rita Cosby: "Você também disse lá fora que acredita... que a Sony e as gravadoras tomam o dinheiro de artistas negros... ela levou James Brown e alguns outros artistas ao fim de suas carreiras e estão sem dinheiro".

Michael Jackson: "Sim...".

Rita Cosby: "Qual é a sua situação financeira?".

Michael Jackson: "Estou em uma situação financeira incrível. Já assinei a alguém um cheque de 500 milhões de dólares. Mas as boas notícias não vendem – se for algo negativo isto é um rumor, isto é... quando se está falido! Eles não esperam que a pessoa diga algo bom que você saiba".

Rita Cosby: "Bem, um dos seus sonhos é dirigir um filme...".

Michael Jackson: "Sim".

Rita Cosby: "Quais são algumas outras coisas que você quer fazer na sua carreira?".

Michael Jackson: "Uh...filmes... filmes. Criar filmes cinematográficos. Tenho um longa-metragem que sairá brevemente que estou dirigindo. Uh... você sabe, entretenimento".

Rita Cosby: "O que você pensa sobre o reverendo Al Sharpton e porque o seu auxílio é tão importante agora para você?".

Michael Jackson: "Ele é um orador incrível e ele é apoiado por uh... você sabe... o público e uh... Maravilhosamente ele entende que precisamos de uma palavra de paz. Uma voz para os mudos, você sabe... ele é, ele é o cara".

Rita Cosby: "Uma outra pergunta rápida... somente porque você estava em Nova York... uma das frustrações de 9 do 11 foi o álbum de caridade... quais são seus pensamentos sobre 9 do 11 quando você estava aqui em Nova York?".

Michael Jackson: "Eu odiei. Eu odiaria se fosse em qualquer outro lugar".

Rita Cosby: "É emocionante e muito interessante Michael Jackson. E com a ajuda do reverendo Al Sharpton ele está explorando o dirigente da corporação Sony, Tommy Mottola, como você ouviu não há nenhuma surpresa. A Sony Music Corporation se sentiu ultrajada pelos comentários de Jackson e rapidamente emanaram uma resposta onde alegam que as palavras do cantor foram "ridículas" e de "má fé", também afirmam que foram prejudicados e acharam grotesca a forma que Jackson decidiu lançar um ataque contra um executivo musical, quem patrocinou sua carreira por muitos, muitos anos".

sábado, 22 de maio de 2010

especial

Globo News prepara a Semana Michael Jackson
O próximo dia 25 de junho marca um ano da morte do rei do pop e quatro especiais vão homenagear o ídolo. Confira a programação de 20 a 27 de junho.

A data 25 de junho de 2009 ficará para a história como o dia em que o mundo da música perdeu um de seus maiores ídolos. Michael Jackson nos deixou um legado de quase 40 anos de sucessos. Um ano depois desse acontecimento que marcou o mundo e a história da música pop, a Globo News preparou uma programação mais do que especial para a data, como o astro merece! O canal vai exibir a Semana Michael Jackson, entre 20 e 27 de junho. Confira a programação:

Globo News Especial:
Inédito: dias 20 e 27 de junho (domingo), às 23h Horários alternativos: madrugada de domingo para segunda, às 3h30/ segunda, às 11h30 e às 17h30; madrugada de segunda para terça, às 5h30; madrugada de quarta para quinta, às 4h05; sábado, às 14h30.

Starte:
Inédito: dia 22 de junho (terça-feira), às 23h30 Horários alternativos: quarta, às 6h30 e 12h30; madrugada de quinta para sexta, às 4h05; sábado, às 7h05 e 12h30; madrugada de sábado para domingo, às 4h30; domingo, às 14h30.

Arquivo N:
Inédito: dia 23 de junho (quarta-feira), às 23h. Horários alternativos: madrugada de quarta para quinta, às 3h30; quinta, às 11h30 e 17h30; madrugada de quinta para sexta, às 5h30; sábado, às 16h05; madrugada de sábado para domingo, às 4h05; domingo, às 21h05.

Sarau:
Inédito: dia 25 de junho (sexta-feira), às 23h30 Horários alternativos: madrugada de sábado para domingo, à 1h30; sábado, às 06h30; domingo, às 08h30 e 16h05; madrugada de segunda para terça, às 5h05.

http://globonews.globo.com/Jornalismo/GN/0,,MUL1592756-17671,00.html

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Friedman: Michael Jackson gravou um album inédito em 2007.


Michael Jackson gravou um álbum comleto de material novo no outono de 2007. A informações sobre o álbum foi recentemente revelado por fontes próximas à estrela.
Leitores da minha coluna vai lembrar que em novembro de 2007, Jackson esteve três semanas com a família Cascio em Franklin Lakes, New Jersey, após sair da casa Virgínia, onde havia estado por cortesia de sua então portavoz Raymone Bain.

Jackson, seus filhos, a babá e um tutor chegarão a casa dos Cascio no final do verão de 2007 e permaneceu até 07 de novembro. Durante esse tempo, Michael não estava descançando, como muitos pensavam. Ele gravou pelo menos uma dúzia de canções com Eddie Cascio, também conhecido como Angel. Me dissem que o portavoz de Jackson, Frank DiLeo, sabia que Jackson estava trabalhando em um novo álbum. Cascio e DiLeo recusaram a comentar para este artigo.

Os títulos que coheço são: "Water", uma música que Michael canta um pouco em seu filme "This Is It", "Breaking News" e "Burn Tonight."

De acordo com uma fonte que ouviu o material, a voz de Michael é "perfeita".

A questão agora é, naturalmente, o que vai acontecer com isso. A família Jackson assinou um acordo com a Sony Music para coletaneas, diretos e um álbum de canções inéditas que ele gravou, estando no contrato com a Sony. O acordo não inclui o material recentemente descoberto. Isso poderia significar que outras gravadoras poderia lutar por esta coleção de canções.

Eddie Cascio, que agora tem 28 anos, é o segundo filho de Dominick e Connie Cascio, amigos de Jackson desde a década de 90, conheceu Jackson em 1984-1985, quando ele trabalhou como gerente geral no Helmsley Palace Hotel, em Nova York City. Jackson se juntou aos Cascio como se fosse da família. Após a morte de Jackson, os Cascio foram os visitantes mais freqüentes da casa de Encino. (...)
http://www.reidopop.com/mjbeats/showthread.php/33575-Friedman-Michael-Jackson-gravou-um-album-in%C3%A9dito-em-2007.

recapitulando 2




http://www.youtube.com/watch?v=X53O47XWVOg

quarta-feira, 28 de abril de 2010

essa eu não sabia

Para quem bem acha que pode dizer o que quiser na Internet e sair umpune,a Justiça canadense prova que não é bem assim. O jovem Adrian Poffley,de 26 anos,passará um ano em liberdade condicional sem usar o serviço de e-mails. Isso porque ele enviou mensagens eletrônicas para Michael Jackson,ameaçando-o de morte.

Quando o ídolo Pop respondeu por abuso sexual de menores na corte de Santa Mônica, Poffley enviou mensagem dizendo que Michael Jackson não iria conseguir chegar até o carro e que os coletes à prova de balas são mais frágeis debaixo do braço, indicando o local em que pretendia acertar o cantor. Depois de encerrada a sessão, o canadense enviou outro e-mail dizendo que haviam policiais na frente e que por isso Michael Jackson havia se safado, mas que haveriam outras oportunidades.

http://www.temaseiros.com/36039452-michael-jackson-e-ameacado-de-morte-via-e-mail

fotos tiradas de This is it

A Mensagem de Michael Jackson aos fãs do Brasil na Celebration Party






Há poucos anos atrás - em 16 de Julho de 2005 - houve em São Paulo, a Celebration Party que foi uma grande homenagem à obra e vida de Michael Jackson.

O objetivo da celebração foi estender as ações da comunidade de fãs mundial e unir admiradores de todo o Brasil para homenagear o Rei do Pop pela magia que ele trouxe ao mundo, fazendo dele um lugar melhor e mais interessante para se viver. Porém, fomos além do objetivo almejado.

Pessoas de todo o Brasil vieram a São Paulo não apenas para homenagear o Rei do Pop, mas também para se encontrarem pessoalmente, alguns até mesmo pela primeira vez. Percebeu-se nessa reunião que a MJ Beats foi mais do que apenas um fórum de discussões. Ela é um elo de afeto. Um elo de amizade. Um elo de amor.

É... essa última parte é meio complicada de se explicar, só sentindo o calor humano mesmo...

A festa foi anunciada no MJJ Source, (atén então) o site oficial de informações sobre Michael Jackson:


A celebração foi dividida em mais duas partes além da festa principal: Pré e Pós Party.


Pré-Party
Antes da festa de comemoração (que aconteceria na noite do dia 16 de Julho de 2005), fizemos um pequeno encontro de fãs no Museu de Artes de São Paulo (MASP), na Avenida Paulista, coração financeiro do Brasil.

Nesse encontro, pudemos conhecer e reconhecer personagens que nos permitiram compartilhar a alegria que se era sentida, não só como grito de vitória devido ao veredito pró-Michael, mas também pela confraternização entre amigos feitos ao longo do tempo.


Quanto à festa em si, foi realizada no Soda Pop Club, em Pinheiros. A festa, que teria início às 19 horas, começou às 19:40.

Na festa, tivemos alguns convidados especiais como o Pepê Jackson e o Rodrigo Teaser, que fizeram suas respectivas performances sem deixar nada a dever.

Uma das "surpresas inesperadas" da noite foi um telefonema direto dos Estados Unidos... não, não foi Michael Jackson quem ligou, foi a membro Jane Jackson, que mora em Massachussets há algum tempo e cumpriu muito bem seu papel como fã ao aparecer na Corte de Santa Maria representando a Beats e o Brasil no apoio a Michael Jackson durante o julgamento.

Em um dos momentos, o Mike tomou a mesa do DJ e anunciou:
— Bom, pessoal... Queria só dizer duas coisinhas. – o público se vira e atenciosamente olha para ele – a primeira é que... Michael Jackson está sabendo da festa.

Nesse momento o público vibra de alegria.

— A segunda coisa é que... tanto ele está sabendo que mandou um fax para os fãs brasileiros aqui – alguns fãs neste momento arregalaram os olhos e outros gritaram sem dó nem piedade.

A todos os meus fãs no Brasil.

Eu espero que todos vocês estejam se divertindo na Festa.

Eu queria poder estar aí com vocês no lindo Brasil! Com certeza, eu estou aí com vocês em espírito. Eu já disse isso antes, e eu vou dizer de novo... Eu tenho mesmo os fãs mais incríveis no mundo.

Obrigado por seu amor, suas orações, seus presentes e por todos os seus belos atos de bondade.

Eu agradeço a vocês por seu apoio e por acreditarem em mim sempre... Lembrem-se, Deus, e a verdade, estão ao nosso lado e NÓS SEREMOS VITORIOSOS.

Eu mesmo, Prince, Paris e Blanket enviamos a vocês o nosso amor... Divirtam-se e Continuem a Dançar. Deus Abençoe a vocês todos!

EU AMO VOCÊS!!!

Michael Jackson"

http://www.reidopop.com/mjbeats/search.php?searchid=163551

sábado, 24 de abril de 2010

resumo ano 2007





O muito esperado retorno de Michael Jackson a seu status de "Rei do Pop" já começou, e o cérebro por trás disso é o misterioso magnata do entretenimento britânico que conseguiu grande sucesso para Simon Cowell no "American Idol" e o multimilionário contrato de 250 milhões de dólares para David Beckham nos EUA.

Em uma entrevista exclusiva com o empresário e produtor de megaestrelas, Simon Fuller, revelou que atualmente é mantida uma estratégia altamente secreta organizando reuniões em Las Vegas entre Michael e o ganhador de Emmys, diretor e coreógrafo Kenny Ortega, que já criou duas das grandes turnês de Jackson.

Fevereiro de 2007

A amizade de Michael e sua relação profissional com o diretor e coreógrafo Kenny Ortega data de anos, e desta vez eles estão mais unidos. "Seja para uma turnê de concertos ou um show fixo em Vegas, eles estarão juntos", disse um amigo. "Possuem total confiança um no outro e assim o projeto irá adiante."

Michael já começou a trabalhar no novo álbum. Algumas canções foram gravadas no castelo Flatley, com a ajuda de Will.I.Am. Não me surpreenderia se Michael e Will aparecessem quando o Black Eyed Peas fizerem o show na Orleans Arena, durante a NBA All-Star Weekend.


Michael Jackson está em negociação com dono de cassinos.
05 de fevereiro, 2007.


O Rei do Pop voltou a se encontrar com Steve Wynn, um dos maiores magnatas no ramo dos cassinos em todo o mundo. O jantar aconteceu na última quinta-feira, 1º de fevereiro.

"Esta não foi a primeira reunião, e o acordo poderá ser firmado em breve", disse uma fonte.

Dentre tais outras reuniões, apenas uma foi realmente confirmada (Jackson se encontrou ontem com magnata dos cassinos.), em 26 de janeiro.

Um contrato de shows fixos em Las Vegas, caso realmente seja firmado, poderá render centenas de milhões de dólares anuais a Jackson


Will.I.Am divulga mais detalhes sobre o novo álbum de Michael Jackson.
22.01.2007

Atualmente em Cannes, Will.I.Am divulgou mais detalhes sobre seu trabalho com Michael Jackson. De início, garantiu novamente que o álbum sairá ainda em 2007.

Will disse não gostar de falar somente sobre o projeto, acreditando que "Michael Jackson quem deverá começar a falar sobre si mesmo e seu álbum."


Will.I.Am.

O líder dos Black Eyed Peas adiantou que o novo álbum conterá um novo estilo e que, as melodias criadas, nunca antes foram feitas na história da indústria musical.

Mais uma vez considerou Michael Jackson como um "grande inventor de sucessos musicais lendários" e informou estar feliz com o projeto.

"Michael Jackson está trabalhando noite e dia neste grande disco. Eu o vi e o escutei no estúdio, ele está criando uma obra maestra. Muita gente da indústria está envolvida ou quer estar, desde os produtores até o pessoal do marketing. Antes do fim deste ano, Michael Jackson estará novamente no topo dos Charts Mundiais!"


Jackson Encontrou-se com o Coreógrafo Kenny Ortega em Las Vegas


Michael Jackson movimenta-se com grande velocidade para por em prática seus planos de volta ao meio musical. Jackson foi visto na sexta-feira jantando com o ganhador do Emmy-award diretor/coreógrafo Kenny Ortega, que foi seu coreógrafo na sua última turnê, após uma década. Jackson que se mudou para Las Vegas depois de 16 meses confinado entre Bahrein e Irlanda jantou com Ortega em recinto particular no Wynn Las Vegas.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

coletando informações,procurando algo.....


06 de fevereiro, 2007.

O muito esperado retorno de Michael Jackson a seu status de "Rei do Pop" já começou, e o cérebro por trás disso é o misterioso magnata do entretenimento britânico que conseguiu grande sucesso para Simon Cowell no "American Idol" e o multimilionário contrato de 250 milhões de dólares para David Beckham nos EUA.

Em uma entrevista exclusiva com o empresário e produtor de megaestrelas, Simon Fuller, revelou que atualmente é mantida uma estratégia altamente secreta organizando reuniões em Las Vegas entre Michael e o ganhador de Emmys, diretor e coreógrafo Kenny Ortega, que já criou duas das grandes turnês de Jackson.






FEVEREIRO DE 2007


Esclarecimentos sobre últimos rumores envolvendo Michael Jackson

ICHAEL JACKSON DEIXA AS COISAS CLARAS SOBRE Os RECENTES RUMORES

Washington, D.C. Publicou-se muitos rumores sem base na mídia sobre o Sr. Michael Jackson, e todos eles são errôneos e falsos.

* O Sr. Jackson não planeja fazer uma turnê com membros de sua família.

* O Sr. Jackson recebeu numerosas propostas, propostas que não solicitou, mas que lhe foram apresentadas; várias delas incluem atuações em Las Vegas. Atualmente o Sr. Jackson está revisando e avaliando cada proposta. Não crê ter nenhuma pressão quanto ao prazo para tomar suas decisões. E mais, as notícias de que "não conseguiu encontrar um casino de Las Vegas para seu show, tendo que recorrer a sua família” são falsas. O Sr. Jackson não se mudou para Las Vegas para se oferecer como espetáculo em Las Vegas. O Sr. Jackson está em Las Vegas porque lhe agrada a cidade, e a encontrou como lugar conveniente para gravar com os artistas, compositores e produtores com os que está trabalhando em estudio.

* O Sr. Jackson não planeja atualmente aparecer ou atuar no "American Idol.”

* O Sr. Jackson não solicitou, nem pediu, nem tentou conseguir tickets para o recente NBA All-Star Game, como se noticiou amplamente. O Sr. Jackson foi convidado por diferentes donos de equipes da NBA, bem como jogadores para assistir ao jogo como convidado. De qualquer forma, o Sr. Jackson declinou esses amáveis convites. A amplamente difundida notícia de que Widely o Sr. Jackson solicitou tickets e lhe foram negados, é completamente falsa.

* O Sr. Jackson nunca alugou a propriedade de Michael Flatly na Irlanda. Por tanto, as notícias de que foi “desalojado” de uma propriedade de Flatly são errôneos e difamatórios.

* O Sr. Jackson não editou nem gravou recentemente um single com Pras.

[Raymone Bain]
http://mjhideout.com/foro/showthread.php?t=69807

Fuller foi convidado a participar de uma conversa privada seguido por dois seguranças no Wing Lei Chinese Restaurant, de Steve Wynn, o empresário do Wynn Resort Hotel & Casino (MAIS INFORMAÇÕES). Esta foi a quarta visita de Jackson a este premiado restaurante, após seu retorno aos EUA.



Ironicamente, Michael, que sempre é um imã de câmeras, passou de forma discreta a alguns metros de inúmeros jornalistas que cobriam o prêmio dado a Paula Abdul de "Woman Of the Year", em uma cerimônia repleta de estrelas.


Michael, Simon e Kenny posam felizes para as fotos no Luxe Life.

Michael estava bem, relaxado e muito feliz, e disse: "Estou muito bem e encontro-me divertindo bastante em Vegas. É um ótimo lugar para se morar". Seu aperto de mão e sua voz eram fortes e firmes. Sobre o show em Las Vegas e seu retorno, Kenny disse: "Estamos falando de trabalho e muitas distintas possibilidades. É uma idéia aberta a muitas opções. Estamos trabalhando com todas elas para encontrar a melhor, de forma que fique boa para todos."

Me convocaram para tornar Michael um grande lotador de shows novamente, e tinha que ser junto ao magnata do entretenimento Simon Fuller, "Esta é a parceria perfeita: a maior estrela do pop mundial junta ao empresário mais famoso do mundo."

Michael se lembrou da última vez em que nos vimos, no Atlantic City Trump Plaza Hotel. Mas, não era hora de falar sobre o auto-exílio que sucedeu sua absolvição.

Michael estava feliz por falar sobre como havia passado seu primeiro mês em Vegas. Me disse que se divertiu levando as crianças para ver um show de magia de Lance Burton em Monte Carlo. "Realmente adoro a magia", disse. "De fato aproveitei o seu show. É impressionante e muito divertido. Adoro me pegar assombrado pela magia." (MAIS INFORMAÇÕES)

Protegido pela sua própria segurança e a do Monte Carlo, Jackson entrou pela parte de trás para não causar tumulto de fãs e se sentou na parte baixa do entre-solo sem que nada o deixasse exposto, indo embora quando acabou o show e todo mundo estava distraído com o final.

Michael só havia concedido uma pequena entrevista telefônica desde que chegou em Vegas. E também falou no funeral em Atlanta de James Brown. Me contou uma divertida história sobre o jornalista da AP que afirmou que Jackson havia voltado aos EUA para viver. As regras eram que o repórter não poderia perguntar o lugar onde ele vivia e só poderia fazer uma pergunta. Quando o repórter perguntou como estava e ele respondeu que estava bem, considerou essa como sendo uma pergunta!!

Para mim, foi uma honra ter sido convidado. Encontrei com um Michael relaxado e confidente - feliz de que os problemas passados tenham ficado para trás e disposto a reconstruir sua carreira. "Há um Michael totalmente novo aqui em Vegas", me disseram. "Se encontra confortável aqui, ele adora poder sair e não ser cercado. Ele gosta dos restaurantes locais e sua ocupação favorita é ir aos shows. Acredito que ele irá querer ver todos nos próximos meses. É a primeira vez em muito tempo que Michael está notando menos pressão e mais tranquilidade. Está preparado para voltar a trabalhar, tem um grande espaço e um estado mental maravilhoso."

Este fim de semana Michael voltou a sair e foi ver o show LOVE dos Beatles, no Mirage Hotel. Visitou a loja de merchandising, se mostrando bastante feliz em tirar fotos com os fãs. Logo foi ao backstage para conhecer os membros do show e parabenizá-los pela atuação e o fabuloso espetáculo. (MAIS INFORMAÇÕES)

"Eles estavam impressioandos com ele, que percebeu as expressões de todos. É muito respeitoso e lhes disse que havia sido uma esperiência incrível, da qual nunca se esqueceria. Acredito que ele vá voltar junto a seus filhos", disse um membro da companhia.

A amizade de Michael e sua relação profissional com o diretor e coreógrafo Kenny Ortega data de anos, e desta vez eles estão mais unidos. "Seja para uma turnê de concertos ou um show fixo em Vegas, eles estarão juntos", disse um amigo. "Possuem total confiança um no outro e assim o projeto irá adiante."

Michael já começou a trabalhar no novo álbum. Algumas canções foram gravadas no castelo Flatley, com a ajuda de Will.I.Am. Não me surpreenderia se Michael e Will aparecessem quando o Black Eyed Peas fizerem o show na Orleans Arena, durante a NBA All-Star Weekend.



"Tudo vai ser bom, muito bom", disse Michael. Mais tarde, Kenny terminou: "Vamos prepará-lo, e quando ele estiver, verão como estou trabalhando para que consigamos o melhor."


Tradução: Kevin "Horakhty"

[Vegaspopular.com]
Editado pela última vez por Horakhty: 07-02-2007 às 15:16




/2001] Silêncio Quebrado: Michael Jackson em Entrevista


Silêncio Quebrado: Michael Jackson em Entrevista
tradução de Luis Fernando Longhi


As primeiras palavras de Michael Jackson parecem levar a um diálogo bem sincero. "Desculpe a minha pele", diz ele. "Eu acabo de chegar do dermatologista. Então, finja que não está vendo". A ordem é difícil de seguir quando você lida com a figura mais escrutinizada no mundo do entretenimento, especialmente alguém que tem "excentricidades" como usar disfarces em público e muita maquiagem para fotos. Enquanto ele usa pouca maquiagem para a entrevista, figurativamente, a máscara nunca cai completamente.

O que foi dito como uma entrevista sem limites, às vezes se torna jogo duro com dois protetores determinados a manter o foco na arte do Rei do Pop, apesar de afirmações feitas por um relações-públicas da Epic Records de acesso irrestrito. Todos os assuntos foram declarados como jogo limpo, exceto "o caso de pedofilia". O acordo, que data de 1993, entre Michael Jackson e a família de um garoto com então 13 anos, proíbe ambos os lados de discutirem detalhes. Michael até hoje nega veementemente as acusações, e não fala sobre isso desde a época.

O assunto não foi abordado durante a entrevista de uma hora. Problemas menos escandalosos, como suas ex-esposas, a odisséia de cirurgias plásticas, assuntos que ele já discutiu no passado - foram destinados a ficar fora de cogitação à medida que apareciam.

Quando é lembrado do vício em analgésicos, ele fica quieto. A empresária, Trudy Green, monitorando a entrevista com o executivo da Epic, Steve Einczig, o proíbe de responder, embora ele mesmo tenha confessado o vício e tratamento posterior durante um testemunho na TV feito quase uma década atrás.

Ela interrompe de novo quando a conversa aborda Debbie Rowe, que deu 2 filhos a Michael entre 1996 e 1999, período em que foram casados. Ele parece ter plena custódia de Prince, 4 anos, e Paris, 3, companhias constantes. Quando pedido para comentar sobre rumores persistentes que o casamento teria sido arranjado para conseguir uma gravidez, Michael fica quieto.

"Não, não, não", protesta a empresária. "Não é para isso que estamos aqui".

Uma segunda punhalada: "As crianças passam certo tempo com a mãe?".

"Ele não quer falar sobre isso", intervém Green. "O assunto é Michael como um artista".

Claro, o artista é subestimado quando lembramos a obsessão cultural em relação a vida de Michael fora dos palcos. Se ele concorda em falar sobre assuntos pessoais, ele lamenta: "Isso vai virar a história inteira".

Com décadas e décadas de recordes, Michael Jackson coninua um objeto de fascinação. E hoje não é exceção. Observadores no Beverly Hills Hotel se encurralam para dar uma olhada em Michael, enquanto o caminho é aberto é ele é suavemente empurrado para um apartamento, com um chapéu, óculos escuros e a máscara cirurgia negra. Ele passa 40 minutos "se arrumando", como Green mesma explica.

Finalmente preparado para a platéia, Michael cumprimenta os visitantes com um aperto de mão, um sorriso tímido e o comentário sobre a pele. A maquiagem parece restrita às bochechas e às maxilas. As sobrancelhas estão escurecidas e escovadas; as olheiras podem ser uma sombra dos vestígios de seu tom de pele original. O vitiligo, uma doença autoimune caracterizada pela perda de pigmento epitelial, deixou grande parte de seu rosto e mãos pálidos. O nariz pequenino esta com fitas adesivas. Ele não dá explicações, e perguntas sobre a situação de sua pele são sumariamente descartadas pela empresária.

Alto e esguio, Michael veste uma jaqueta de couro marrom, camisa vermelha, calças e as marcas registradas, meias brancas e sapatos pretos. Prince, o filho de cabelos pretos tingidos de loiro, veste-se de modo parecido, com mesmos sapatos e um uniforme policial para crianças completo, incluindo algemas de plástico caindo de um cinto.

"As chaves funcionam!", anuncia ele, antes de devolvê-las para as gavetas em uma mesa por perto.

Sentado em uma cadeira na suíte com pouca iluminação, Michael parece relaxado e equilibrado, embora um pouco cansado. Ele é generoso ao elogiar imitadores. Ele se sente orgulhoso de imitações e adora a versão cover do Alient Ant Farm para "Smooth Criminal", incluindo o vídeo. Os olhos se iluminam ao conversar sobre projetos futuros de filmes, especialmente sobre co-dirigir um com o diretor e ator Bryan Michael Stoller em maio. Ele ri quando fala de sua fobia de terremotos, fica triste ao falar de um pai dominador, e dá força às teorias de sua eterna infância, em uma conversa entusiasmada sobre brinquedos e parques de diversões.

Michael irradia auto-confiança sobre suas habilidades musicais e irritação quando indagado sobre a imprensa. Raramente entrevistado, ele concordou com o encontro esperando enfatizar uma mensagem que é freqüente escurecida por fofocas: "Tudo que quero falar é que salvem o mundo, e nossas crianças".

"O cara que influencia a maior parte da população é sempre o alvo", reclama ele. "É a natureza humana".

Nessa entrevista dada ao "USA Today", o Rei do Pop se abre...

USAT: Como responde aos artigos mentirosos sobre você?

MJ: Eu não presto atenção alguma. Os fãs sabem que os tablóides são um lixo. Eles sempre me falam, "Vamos fazer uma fogueira de tablóides". É terrível isso, tentar assassinar o caráter de alguém. Eu já me encontrei com pessoas que, após o ocorrido, começam a chorar. Eu pergunto o porquê, e elas falam "Porque eu pensei que você fosse ficar parado, mas você é o cara mais legal". E eu pergunto, "Quem tinha te falado isso?", e elas respondem que leram. E eu digo, "Não acreditem no que vocês lêem".

USAT: Os rumores persistem por que você não os nega?

MJ: Não. Eu já fiz tanto. Eu já fui entrevistado no programa de maior audiência da história da TV, com Oprah Winfrey, em 1993. Mas a mídia tende a mudar o que você fala, julgando. Eu quero continuar o assunto na música e na arte. Eu penso nas minhas pessoas prediletas. Se eu pudesse ficar cara a cara com Walt Disney ou Michelângelo, eu ia ligar para o que eles fazem na vida privada? Eu ia querer saber sobre a arte deles. Eu sou um fã.

USAT: Como você se protege de ser machucado pelas críticas?

MJ: Esperando-as, sabendo que vai acontecer, e sendo invencível, sendo sempre aquilo para que fui ensinado. Você continua firme com punhos de aço, não importando a situação.

USAT: Os críticos referem-se a você como o "autoproclamado Rei do Pop". Você escolheu o título?

MJ: Eu nunca me autoproclamei nada. Se eu telefonasse para a Elizabeth Taylor agora, ela iria te falar que foi ela que apareceu com a frase. Ela me apresentou, eu acho que no American Music Awards, com as palavras dela - não estava no roteiro - "Eu sou uma fã, e na minha opinião ele é o rei do pop, rock e soul". E daí a imprensa começou com o "Rei do Pop" e os fãs também. Esse negócio de "autoproclamado" é besteira, eu não sei quem começou com tudo.

USAT: Os shows em Nova York marcaram os seus primeiros nos EUA em 12 anos. Você estava nervoso?

MJ: Não. Foi uma honra estar de novo com meus irmãos. O produtor queria um conjunto de homenagens diferentes. Foi uma honra ter os artistas me homenageando. Foi aconchegante, feliz, uma ocasião divertida.

USAT: Você pensaria em uma turnê com os seus irmãos?

MJ: Eu acho que não. Eu com certeza faria um álbum com eles, mas não uma turnê. Eles iriam adorar sair em turnê. Mas eu quero mudar. Fisicamente, fazer shows é estressante. Quando estou no palco, é como uma maratona de 2 horas. Eu me peso antes e depois, e perco 4 kg. O suor fica por todo o palco. Então você vai para o hotel e a adrenalina está lá em cima e você não consegue dormir. E daí você tem um show no outro dia. É duro.

USAT: Se você não sair em turnê, como você vai satisfazer a vontade do público assim como sua necessidade de se apresentar?

MJ: Quero dirigir um especial, e cantar canções que me emocionam. Quero fazer algo mais íntimo, de corpo e alma, com apenas um foco de luz.

USAT: Como você reagiu quando Invincible chegou ao topo das paradas nos Estados Unidos e mais uma dúzia de países?

MJ: Foi uma coisa adorável. Eu chorei de alegria ao ver todo aquele amor.

USAT: Invincible levou anos para ficar pronto. O seu perfeccionismo retardou o processo?

MJ: Realmente levou certo tempo porque nunca estou feliz com as faixas. Eu componho dezenas, jogo fora, escrevo mais um pouco. As pessoas dizem: "Você está maluco? Isso tem que estar no álbum". Mas eu falo, "É melhor que essa outra?". Você tem apenas 75 minutos em um CD, e chegamos ao limite.

USAT: Você fez o álbum com um tema na cabeça?

MJ: Eu nunca penso em temas. Eu deixo a música criar-se por si mesma. Eu quero que seja um potpourri de todos os tipos de sons, de cores, algo para todo mundo, do fazendeiro na Irlanda para a mulher que limpa banheiros no Harlem.

USAT: Compor canções ficou mais fácil com o tempo?

MJ: É a coisa mais sem esforço do mundo, porque você não faz nada. Eu odeio falar assim, mas é a verdade. Os céus jogam no meu colo, completamente. As verdadeiras jóias chegam assim. Você pode se sentar ao piano, e falar "OK, vou compor a maior canção jamais composta", e nada. Mas você pode estar andando na rua, ou tomando banho, ou brincando, e bum, vem na tua cabeça. Eu já compus muito assim. Estou jogando pinball, e tenho que subir para meu quarto e pegar o gravador e começar a passar tudo. Eu ouço tudo na totalidade, o que fazem as cordas, o baixo, o piano, tudo.

USAT: É difícil traduzir esse som para a fita?

MJ: Isso é que é frustrante. Na minha cabeça, está completo, mas eu tenho que passar para a fita. É como Hitchcock falou, "O filme está completo". Mas ele ainda tem que começar a dirigí-lo. Com a canção é a mesma coisa. Você a enxerga completamente, mas tem que fazê-la.

USAT: Depois de tão longa ausência, você tinha dúvidas sobre a sua relevância atual?

MJ: Nunca. Eu tenho confiança nas minhas habilidades. Eu tenho verdadeira perseverança. Nada pode me parar, quando eu penso em algo.

USAT: Depois de 11 de setembro, você compôs uma canção beneficente, "What More Can I Give". Qual a situação dela?

MJ: Não está terminada. Estamos colocando mais artista, e estou ficando satisfeito com a parte instrumental.

USAT: Você acredita que a música é um instrumento para a cura?

MJ: É um mantra que acalma a alma. É terapêutico. É algo que o corpo tem que ter, como comida. É muito importante entender o poder da música. Quer você esteja em um elevador, ou numa loja de departamentos, a música afeta o modo como você faz compras, o modo como você trata seu vizinho.

(Prince entrega a Michael um desenho. "Eu gostei", diz ele. "Você tem que ir ao banheiro?". Prince: "Não").

USAT: Invinciblenão teve quebras de recorde de venda. Thriller é uma sombra muito grande?

MJ: Absolutamente. É difícil porque você compete contra si mesmo. Invincible é tão bom ou melhor que Thriller, na minha verdadeira, humilde opinião. Tem mais a oferecer. A música é o que importa, não tem fim. Invincible foi um grande sucesso. Quando "O Quebra-Nozes" foi apresentado ao mundo, foi bombardeado. O importante é como a história termina.

(Prince reaparece com mais um desenho. "O que você prometeu?", pergunta Michael. "Ficar quieto?", responde ele, afastando-se).

USAT: Como a paternidade te mudou?

MJ: De uma maneira enorme. Você tem que avaliar melhor o seu tempo, sem dúvida alguma. É sua responsabilidade ter certeza que eles estão sendo bem cuidados e educados com boas maneiras. Mas eu me nego que isso influencie a música, a dança ou o modo como me apresentar. Eu tenho que atuar em 2 papéis diferentes. Sempre quis ter uma grande família, desde que estava na escola. Sempre falei para o meu pai que eu queria ultrapassá-lo. Ele teve 10 filhos. Eu adoraria ter 11 ou 12.

USAT: O que você ensinou a seus filhos?

MJ: Eu tento ter certeza que eles sejam respeitosos e gentis com todo mundo. Eu falo para eles, não importa o que façam, que trabalhem duro. O que quer que seja que eles façam pela vida inteira, que sejam os melhores.

(Prince fica o encarando. "Pare de olhar para mim", diz Michael, sorrindo).


USAT: O que seus filhos te ensinaram?

MJ: Muito. A paternidade te lembra o que a Bíblia sempre ensinou. Quando os apóstolos estavam discutindo entre eles sobre quem era o maior aos olhos de Jesus, ele falou, "Nenhum de vocês", e chamou um pequeno garoto e disse, "até que você seja humilde como essa criança". Isso lembra que você deve ser generoso e humilde e ver as coisas com os olhos de uma criança e se surpreender infantilmente. Eu ainda tenho isso. Eu ainda fico fascinado com as nuvens e o pôr-do-sol. Eu estava fazendo pedidos com o arco-íris, ontem. Eu vi a chuva de meteoros. Eu faço um pedido toda vez que vejo uma estrela cadente.

USAT: Quais são os seus desejos?

MJ: Amor e paz para as crianças. (Prince volta, encarando intensamento. "Pare com isso", diz Michael, gentilmente virando a cabeça do garoto. "Você consegue ficar quieto?).


USAT: Você disse planejar uma escola privada para seus filhos. Levando em conta sua fama, como você pode providenciar uma vida normal para eles?

MJ: Você faz o melhor que você pode. Você não os isola para as outras crianças. Haverá outras crianças na escola. Eu deixo que eles saiam para o mundo. Mas eles não podem sempre sair comigo. Somos perseguidos e atacados. Quando estávamos na África, Prince viu uma multidão nos perseguindo no shopping center. As pessoas quebraram tantas coisas, correndo e gritando. O meu maior medo é que os fãs se machuquem, e eles fazem isso. Eu já vi vidros quebrarem, sangue, ambulâncias.

USAT: Você se sente amargo da fama ter roubado sua infância?

MJ: Sim. Não é raiva, é dor. As pessoas me vêem em um parque de diversão, ou então com outras crianças, me divertindo, e elas não param e pensam, "Ele nunca teve essa chance quando era novo2. Eu nunca tive a chance de fazer as coisas divertidas que as crianças fazem: dormir um na casa do outro, festas, brincadeiras. Não havia Natal, nem feriados. Então agora você tenta compensar algumas dessas perdas.

USAT: Você fez as pazes com seu pai?

MJ: É muito melhor agora. Meu pai é uma pessoa bem mais agradável. Eu acho que ele percebe que os filhos dele são tudo. Sem sua família, você não é nada. Ele é um ser humano bom. Em certo momento, ficamos horrorizados só com a presença dele. Morríamos de medo. Ele acabou por ficar melhor. Só queria que não fosse tão tarde.

USAT: A música te ofereceu um escape das preocupações da infância?

MJ: Claro. Sempre cantávamos em casa. Fazíamos harmonia em grupo enquanto lavávamos a louça. Compunhamos canções enquanto trabalhávamos. É isso que faz tudo maior. Quando você tem aquela tragédia, aquela dor pra te empurrar. É isso que faz grande um palhaço. Você vê quando ele está machucado atrás da maquiagem. Ele é algo diferente externamente. Chaplin fez isso maravilhosamente, melhor do que ninguém. Eu posso fazer esse papel às vezes, também. Já estive debaixo do fogo muitas vezes.

(Prince está de volta. Ele se encosta na cadeira para olhar para o Rei do Pop. "Pare de olhar para mim", Michael implora, notadamente nervoso com o escrutínio do garoto. "Você não está facilitando as coisas". Ambos riem, e Michael avisa provocando, "Você pode não ganhar aquele doce").

USAT: As suas crenças religiosas alguma vez conflitem com a natureza sexual de sua música ou dança?

MJ: Não. Eu canto sobre o amor, e se as pessoas interpretam isso como sexo, é problema delas. Eu nunca uso palavrões como alguns dos rapper. Eu amo e respeito o trabalho deles, mas eu acho que tenho muito respeito pelos pais, mães e pessoas idosas. Se eu fizesse uma canção com palavrões e visse uma senhora na platéia, eu ficaria envergonhado.

USAT: Mas e seus passos tão conhecidos, como aqueles em que você "pega lá embaixo?"

MJ: Eu comecei a fazer isso com Bad. Martin Scrosese dirigiu o curta-metragem nos metrôs de Nova York. Eu deixei a música me falar o que fazer. Eu lembro dele ter falado, "Esse foi um 'take' ótimo. Eu quero que você veja". Daí vimos a cena, e ficamos espantados, não percebi ter feito aquilo. Mas aí todo mundo começou a fazer, até a Madonna fez. Mas não é sexual de jeito nenhum.

USAT: Como você aproveita o tempo livre ultimamente?

MJ: Eu gosto de fazer coisas bobas - lutas de balões d'água, de tortas, de ovo. (Virando-se para Prince) Você tem uma muito boa vindo aí!. Acho que nunca vou me cansar disso. Na minha casa, construí um forte para lutas de balões d'água com dois lados, com um time vermelho e outro azul. Temos canhões que jogam água longe, e estiligues para jogar os balões. Temos pontes e lugar para nos esconder. Eu adoro isso.

USAT: Após 38 anos no mundo da música, os fãs ainda o perseguem. Você é imune a isso?

MJ: É sempre muito bom. Eu nunca ignoro. Nunca me encho de orgulho ou penso que sou melhor que o vizinho. Ser amado é uma coisa maravilhosa. É a razão principal por eu fazer o que eu faço. Eu me sinto compromissado com isso, a dar às pessoas um senso de escapismo, um presente para os olhos e os ouvidos. Eu acho que é a razão para eu estar aqui.

USAT: Por que você acha que as pessoas são ciumentas?

MJ: Se você olhar para a história, foi o mesmo com qualquer um que tenha conseguido coisas maravilhosas. Eu conheço bem a família Disney, e as filhas do Walt costumavam me contar das dificuldades que tinham na escola. As crianças falavam "Eu odeio o Walt Disney. Ele não é nem engraçado. Não o assistimos". Os filhos de Charlie Chaplim, que eu conheço bastante, tiveram que tirar os filhos da escola. Eles eram provocados: "O avô de vocês é estúpido. Ele não é engraçado. Não gostamos dele". Ele era um gênio! Então você tem que ligar com esse ciúme. Eles acham que estão te machucando. Nada poderia me machucar. Quanto maior a estrela, maior o alvo. Ao menos eles estão falando. Quando eles param de falar, você tem que se preocupar.

USAT: Como você se preparou para as necessidades físicas dos seus concertos especiais - que foram exibidos como um especial de 2 horas na CBS? Você faz exercícios?

MJ: Eu odeio exercícios. Eu odeio muito. A única coisa que faço é dançar. Isso é um exercício. É por isso que gosto de algumas coisas do karatê e kung-fu. É tudo uma dança. Mas ficar abaixando e levantando? Eu odeio.

USAT: Você se sentiu intimidado com algumas das estrelas?

MJ: Não. Eu adorei ver as performances. É tudo uma escola para mim. Nunca paro de aprender. Foi realmente inspirador.

USAT: Você gosta mais da música moderna ou da antiga?

MJ: Gosto das coisas antigas. É mais melódico. Hoje as pessoas se apóiam em uma batida ou ritmo, o que é legal, mas eu já falei e falo de novo, a melodia sempre vai ser a rainha. Você tem que assobiar.

USAT: Você se juntou a uma grande variedade de músicos. O que atrai você em um colaborador particular?

MJ: Se eu vejo algum potencias na habilidade de um artista ou músico, eu vou dar a eles um refrão, ou então uma frase e ver como eles tocam ou executam. Algumas vezes leva o dia inteiro e ainda não está certo.

USAT: Você aprendeu essa lição com seus pais?

MJ: Nossos pais nos ensinaram a sempre respeitar, e não importa o que você faça, a dar tudo de si. Ser o melhor, não o segundo melhor.

USAT: Você é freqüentemente perseguido por multidões de fãs. Você tem medo da própria segurança?

MJ: Nunca, jamais. Eu sei exatamente o que fazer quando fica realmente difícil, como brincar com eles. Enquanto eles podem te ver, eles estão loucos, mas você pode se colocar no olho do furacão. Se você se esconde e eles não podem de ver, eles se acalmam.

USAT: O seu círculo de amizades consiste de amigos muito novos ou muito mais velhos. O que o liga a pessoas como Marlon Brando e Elizabeth Taylor?

MJ: Tivemos a mesma vida. Eles cresceram no show business. Olhamos um para o outro, é como se olhássemos em um espelho. Elizabeth tem aquela garotinha dentro dele, que nunca teve uma infância. Ela estava no set todo dia. Ela adora brincar com um novo brinquedo, e fica totalmente inspirada. Ela é um ser humano maravilhoso. Assim como o Brando.

USAT: E seus planos de construir parques de diversão na Europa e na África?

MJ: Ainda estamos trabalhando em alguns projetos. Eu não posso falar agora exatamente onde. Eu adoro parques de diversão. Eu amo ver as crianças de juntando, divertindo-se com os pais. Não é como costumava ser, quando você colocava as crianças no carrossel e sentava no banco comendo amendoins. Agora você aproveita com elas. Cria uma unidade familia




Michael Jackson está em negociação com dono de cassinos.
05 de fevereiro, 2007.


O Rei do Pop voltou a se encontrar com Steve Wynn, um dos maiores magnatas no ramo dos cassinos em todo o mundo. O jantar aconteceu na última quinta-feira, 1º de fevereiro.

"Esta não foi a primeira reunião, e o acordo poderá ser firmado em breve", disse uma fonte.

Dentre tais outras reuniões, apenas uma foi realmente confirmada (Jackson se encontrou ontem com magnata dos cassinos.), em 26 de janeiro.

Um contrato de shows fixos em Las Vegas, caso realmente seja firmado, poderá render centenas de milhões de dólares anuais a Jackson


Will.I.Am divulga mais detalhes sobre o novo álbum de Michael Jackson.
22.01.2007

Atualmente em Cannes, Will.I.Am divulgou mais detalhes sobre seu trabalho com Michael Jackson. De início, garantiu novamente que o álbum sairá ainda em 2007.

Will disse não gostar de falar somente sobre o projeto, acreditando que "Michael Jackson quem deverá começar a falar sobre si mesmo e seu álbum."


Will.I.Am.

O líder dos Black Eyed Peas adiantou que o novo álbum conterá um novo estilo e que, as melodias criadas, nunca antes foram feitas na história da indústria musical.

Mais uma vez considerou Michael Jackson como um "grande inventor de sucessos musicais lendários" e informou estar feliz com o projeto.

"Michael Jackson está trabalhando noite e dia neste grande disco. Eu o vi e o escutei no estúdio, ele está criando uma obra maestra. Muita gente da indústria está envolvida ou quer estar, desde os produtores até o pessoal do marketing. Antes do fim deste ano, Michael Jackson estará novamente no topo dos Charts Mundiais!"









Jackson voltou a se encontrar com o coreógrafo Kenny Ortega.
29.01.2007

Pela segunda desde que voltou aos EUA, semanas atrás, Michael Jackson se encontrou com o grande coreógrafo Kenny Ortega - responsável pelas coreografias da Dangerous e HIStory Tour.

O encontro aconteceu no Wing Lei (foto), restaurante oriental do hotel Wynn.

Esta também é a segunda vez em que Michael vai ao hotel. Dias atrás ele jantou com o dono de tal obra de luxo, Steve Wynn. (MAIS DETALHES)


Tradução: Kevin "Horakhty"

[Review Journal]
Editado pela última vez por Horakhty: 29-01-2007 às 14:41







Jackson Encontrou-se com o Coreógrafo Kenny Ortega em Las Vegas


Michael Jackson movimenta-se com grande velocidade para por em prática seus planos de volta ao meio musical. Jackson foi visto na sexta-feira jantando com o ganhador do Emmy-award diretor/coreógrafo Kenny Ortega, que foi seu coreógrafo na sua última turnê, após uma década. Jackson que se mudou para Las Vegas depois de 16 meses confinado entre Bahrein e Irlanda jantou com Ortega em recinto particular no Wynn Las Vegas.

Na tentativa de reconciliação com seus pais, Michael Jackson no sábado falou com Joe e Katherine. Joseph Jackson confirmou por telefone que "ele entrou em contato comigo e sua mãe". Michael, Joe e Katherine não se falavam desde quando o primeiro foi para o Bahrein depois de ter sido absolvido em 2005 das acusações de pedofilia. A reconciliação ocorreu porque Joe e Katherine solicitaram que Jack Wishna abrisse portas para a comunicação entre eles.

Tanto Jackson como Ortega se associaram com Steve Wynn - que transformou Siegfried e Roy em estrelas internacionais com uma apresentação no hotel The Mirage. A amizade de Wynn com Jackson já data décadas. Jackson foi várias vezes hóspede de Wynn no The Mirage, houve até negociações para que ele trouxesse o cantor para Las Vegas.

Ortega já foi responsável pelas coreografias de "Material Girl" e "Dirty Dancing", além de ter aberto as cerimônias das Olimpíadas de Inverno na Cidade de Salt Lake e das Olimpíadas de Verão de Atlanta, além das turnês com Barbra Streisand, as Pointer Sisters, Cher, Gloria Estefan, Kiss e Diana Ross. Acredita-se que o novo álbum do astro saia antes do final desse ano.










ackson Pretende Lançar Espetáculo em Vegas: Magic And Music

O Rei do Pop Michael Jackson está em Las Vegas para preparar seu sensacional regresso. No mês passado, Pop Revenge recebeu a notícia de que Jackson estava planejando seu "Magic and Music Spectacular" com David Blaine. Agora o jornal confirma que o evento ocorrerá em Las Vegas e o famoso homem de negócios Jack Wishna está por trás desse acordo. Blaine havia se reunido com Jackson na cidade no sábado. O mágico foi um apoio importante para o cantor em 2005, quando apareceu incluído na lista de testemunhas de defesa no processo de pedofilia do ano passado.

O incrível regresso de Michael Jackson será bem recebido por seus fãs americanos, segundo ficou sabendo Pop Revenge, ele foi aconselhado para que fizesse o espetáculo na Ásia por razões financeiras, mas Jackson preferiu voltar a dar as caras perante seu público norte-americano mais uma vez. Após a desastrosa aparição no World Music Awards, onde um repórter subiu ao palco demonstrando a péssima segurança do evento, Jackson voltará com um espetáculo que calará os críticos. Seu amigo e confidente Blaine está trabalhando com ele nos detalhes deste projeto combinado.

Jack Wishna é o responsável por alguns eventos mais espetaculares de Las Vegas, recentemente ofereceu a Madonna 150 milhões de dólares para atuar em um cassino. Ele também negociou acordos com Richard Branson e Britney Spears. Em 1999 conseguiu um contrato de 250 milhões de dólares para Wayne Newton. Os especialistas da indústria estimam que o preço de um acordo para um show de Jackson e Blaine poderia chegar a 530 milhões de dólares. Se as negociações seguirem bem, uma comitiva para dar mais detalhes sobre o evento poderia ocorrer em fevereiro de 2007.

por Bruno Fahning

Fonte: Pop Revenge/MJJForum/eMJe







Diretores do Exeter Football Club Enganaram a Jackson e Uri Geller

Os dois homens de negócios que atraíram o Rei do Pop Michael Jackson e o médium Uri Geller para comparecerem a um clube de futebol de liga, admitiram participação em uma fraude. Em Bristol, o ex-diretor do Exeter Football Club, John Russel e o deputado Michael Lewis, confessaram ter cometido atividades fraudulentas entre fevereiro de 2002 e maio de 2003 deixando uma dívida ao clube de milhões de libras. Ambos deverão ser sentenciados pelo ato. Jackson foi nomeado diretor honorário depois de visitar o St James' Park com Geller.

A presença de ambos foi usada para angariar fundos para atividades beneficentes.




JULHO DE 2007

SonyBMG busca apoio de Michael Jackson para contratar compositores.
Sony está em conversações com Michael Jackson para renegociar o término do acordo de sua empresa, e assim poder permitir que a SonyBMG, empresa irmã, possa contratar compositores pela primeira vez.

Uma cláusula no acordo existente entre o cantor e a gigante japonesa da área eletrônica previne que a Sony contrate um editor de música que rivalisse com sua empresa Sony/ATV, que detém em seu catálogo os direitos de 252 músicas dos Beatles.

Se a Sony conseguir persuadir seu sócio a ceder um pouco e eliminar essa cláusula como parte das negociações, isso permitiria que a SonyBMG, em relação a música registrada, passe a ser uma competidora.

A empresa está desesperada para entrar no mercado da edição musical porque isso ajudaria a compensar o colapso na venda de discos e permitiria ao selo discográfico contratar compositores.

Se espera que este ano as vendas de discos diminuam em até 11%, mas a edição de músicas se mantém estável porque participa de outras áreas, como 'rádio airplay' e o uso da música em publicidade, assim como também nas vendas de CDs e downloads.

Rolf Schmidt-Holz, diretor geral da SonyBMG, declarou em maio "faremos de tudo para voltar a participar do mercado da edição de música". Seus comentários surpreenderam outros diretores rivais, que sabiam que a decisão de entrar no campo da edição não estava em seu poder. Todavia, a existência das desconhecidas discussões anteriores explicam sua segurança.

As discussões entre a Sony e Jackson se encontram numa etapa avançada e poderá vir abaixo. As relações entre os dois foram tensas no passado. A Sony/ATV tem tido problemas para realizar compras pelo difícil contato imediato com a estrela para firmar acordos.

Jackson recentemente permitiu que a Sony/ATV se expanda ao máximo com seu novo diretor geral, Mary Bandier. A companhia tem agora uma opção, de comprar 25% da parte de seu sócio. Há possibilidades de que Jackson não receba pagamento, mesmo se for esse o caso, ele insistirá seguramente que a SonyBMG só poderá ter alguns poucos compositores.

A SonyBMG, propriedade da Sony e da Bertlesmann da Alemanha, é a segunda maior companhia de música do mundo, porém é a única a não incluir uma subdivisão para edição musical.

O negócio da música está tradicionalmente dividido em duas metadas. Os encarregados da gravação buscam, criam e promocionam os artistas, no entanto são os encarregados da edição que controlam e gestionam os direitos das composições. Todas as rivais, Universal, EMI e Warner Music, são responsáveis por ambas atividades.

Os assessores da Sony e da SonyBMG não quiseram comentar sobre o assunto.


Tradução: Kevin "Horakhty"

[TIMES Online]
Editado pela última vez por Horakhty: 05-07-2007 às 12:53



Michael Jackson envia mensagem aos fãs.

1 de maio, 2007.


Divulgou-se hoje a mais nova mensagem de Michael Jackson aos seus fãs, datada de 19 de maio (sábado). Nela, o cantor agradece o apoio recebido, comenta sobre seus novos projetos e diz amar muitíssimo todos os seus admiradores.


"Por favor, diga aos fãs que os amo muito e que aprecio tudo o que têm feito por mim. São muito agradecidos, amáveis e doces. Muito obrigado.

Os amo e estou muito excitado com o futuro. Estou trabalhando em vários projetos diferentes musicais e cinematográficos. Muitas coisas virão em breve e estou excitado com isso.

Obrigado por vossa lealdade e vosso apoio. Meus fãs são a razão pela qual vivo e se não fosse por vocês eu já teria jogado a toalha. Por favor, saibam o quanto aprecio todos vocês, os amo muito."



Jackson Falou Por Telefone com Fãs Nesta Última Noite

Dois membros dos fóruns internacionais MJ News Online e MJJForum receberam uma ligação de Michael Jackson nesta última noite, onde o mesmo afirma estar em Las Vegas e avisa o quanto quer e ama a todos os fãs. O astro também disse que está trabalhando "em novas coisas maravilhosas", e que está pondo em ordem muitas coisas para sua nova companhia. Em resposta a um comentário feito por Paul, administrador do fórum MJNO, sobre que todos os fãs gostam de pizzas e que Jackson as envia aos fãs quando estão fora do hotel a sua espera, Michael disse: "Ooh! Sempre me sinto mal pensando que estão lá fora dessa forma, que todos comam pizza!".

E a Trish, Michael disse: "por favor, diga aos fãs que os amo e que sigam sem perder a fé. Eu os amo com todo o meu coração". Michael agradeceu por fazer o que fazemos e disse: "obrigado por manter vivo o legado. Obrigado por mim e por minha família!". As conversações foram alternadas entre um e outro, mas não será divulgado o conteúdo das conversas pessoais. Michael pediu desculpas pelo o que aconteceu no MJWMA Fan Party, mas não gostaria de voltar a discutir o assunto, foi um problema que está sendo resolvido.

por Bruno Fahning

Fonte: MJJForum/MJ News Online







Akon Diz que Michael Jackson Está em Outro Nível

O cantor Akon atualmente movendo-se com três grandes ícones mais legendários: Madonna, Whitney Houston e Michael Jackson. Embora não se saiba especificamente sua colaboração ou colaborações com Jackson, Akon contou a MTV News sua experiência com o Rei do Pop.

"Ele é incrível, é um gênio. Simplesmente estar na mesma sala com ele, me realizou tudo que eu queria que fosse realizado. Aquela aura... como é incrível aquela aura... Que tal estremecermos o mundo? Você sabe como é estar com alguém e não poder explicar esse sentimento? Como alguém vende tantas cópias e domina um gênero inteiro de negócios? O modo que ele pensa... alguns artistas pensam regionalmente, outros pensam nacionalmente, meu pensamento é internacional. Ele pensa planetariamente. Ele está em outro nível".

Akon atualmente entrará em estúdio com Madonna e ele espera "chocar o mundo" com Madge antes do fim do ano. E adicionou que as faixas que ele compôs para Whitney Houston refletirão a vida pessoal da cantora. Veremos agora como será sua colaboração com o Rei do Pop.

por Bruno Fahning

Fonte: MTV News/MJJForum

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Perguntas sem respostas



http://www.healtheworld-withlove.blogspot.com/

Michael,Michael,Michael....

Tudo emprestado do blog;

http://www.mjsoldiers.blogspot.com/